domingo, 26 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Quem Crê em Tudo não Crê em Nada

Quem Crê em Tudo não Crê em Nada - C. H. Spurgeon
Set 23


domingo, 19 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

A edificação da casa de Deus - Parte 2

A edificação da casa de Deus - Parte 2

Exibição na TV Brasília: 18/12/2010 - Sábado - 9h


A edificação da casa de Deus - Parte 1



Exibição na TV Brasília: 11/12/2010 - Sábado - 9h


Leonard Ravenhill - Agonia

Paul Washer - Vire Homem.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

domingo, 12 de dezembro de 2010

sábado, 11 de dezembro de 2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Apostasia não é igreja vazia...

Apostasia não é igreja vazia...



Apostasia não é igreja vazia... é igreja cheia, mas de gente que não conhece e nem se esforça para conhecer verdadeiramente ao Deus da Bíblia, preferindo engolir doutrinas espúrias aos domingos do que ler e se esforçar para compreender a Palavra de Deus.

Apostasia é igreja permeada pelo mundo: concordante e participante dos costumes e da "cultura relevante", valorizando o ser humano acima da vontade do próprio Deus.

Apostasia é a igreja onde as conversões são psicológicas, ocorridas através de promessas sem base bíblica e onde o culto deve agradar ao público e a palavra "racional" é substituída por "extravagante", "sobrenatural"... "do reteté"!

Apostasia é uma profecia bíblica relativa ao final dos tempos e, de forma alguma, deixará de se cumprir: não vai haver apostasia no clube de futebol e muito menos no bar da esquina, pois é uma condição total e intrinsecamente relacionada apenas às igrejas.

Apostasia... já está acontecendo?

Após um hiato de dois anos decidi retornar e o objetivo deste site ainda (e mais do que nunca) é analisar, sob uma perspectiva 100% bíblica, alguns acontecimentos contemporâneos que direcionam a humanidade ao cumprimento perfeito e inexorável de cada uma das profecias registradas na Bíblia.

Se você não crê que a Bíblia é a verdadeira e única palavra de Deus revelada aos homens através da inspiração divina, inerrante, infalível e suficiente...

Se você não crê que Jesus Cristo é o filho unigênito de Deus e em todas as suas características únicas: nascimento virginal, divindade, expiação vicária, ressurreição corpórea e segunda vinda...

... Então o conteúdo a partir daqui não é de seu interesse. Pode ir navegar em outro lugar, pois não pretendo perder tempo discutindo com base em opiniões pessoais, emoções ou em qualquer outra obra além da Palavra.

Desafio os leitores para que utilizem o comportamento bereano (mencionado em Atos 17:10-11), buscando única e exclusivamente a Verdade e desprezando as vãs filosofias e doutrinas de demônios divulgadas até mesmo por muitas das chamadas “igrejas”: julgando alguma informação errônea, saibam que estão intimados a refutar e exortar este autor dentro das condições acima apresentadas (base 100% bíblica, não judaizante e sem subjetivismo).

Sou brasileiro, ou seja, um gentio convertido pela fé e salvo pelo sangue que Jesus Cristo verteu na cruz do Calvário — não sou judeu nem vivo sob a Lei do Antigo Testamento! Crendo em Jesus Cristo e em Sua Palavra, minha convocação é que estudemos e conheçamos a Bíblia de forma correta, aplicando-a em nosso cotidiano e pagando o preço por isso.

Acho inacreditável que esse pequeno site tenha tido mais de 120.000 visitas no decorrer de dois anos sem atualização alguma: as pessoas lêem menos a cada dia, satisfazendo-se com a “papinha podre” e o pragmatismo oferecido pela maioria dos “programas gospel” da TV. Talvez isso sirva para provar que a Palavra de Deus, quando aplicada corretamente, não fica velha e muito menos necessita de "novidades" para continuar válida, aplicável e atual.

Nesse ponto sou obrigado a confessar que meus textos não são lá muito originais: copio muita coisa desse livro (que muitos odeiam e consideram ultrapassado) chamado “Bíblia Sagrada”! Aliás, ficarei muito honrado se um dia quiserem me processar por plágio deste livro que muito em breve deve estar sendo proibido pelas comissões de direitos humanos...

Não busco glória nem fama: sirvo ao Único e Verdadeiro Deus, Criador dos céus e da terra, Pai de meu Senhor e Salvador Jesus Cristo, que nasceu como homem, viveu entre nós e, ao morrer na cruz do Calvário, tomou sobre si todos os nossos pecados. Este mesmo Jesus Cristo ressuscitou, está hoje assentado à direita do Pai. Pretendo provar que, apesar de ninguém saber do dia e da hora em que ocorrerá, Ele deve estar muito perto de voltar para julgar esta humanidade e suas depravações.

O objetivo deste site não é divulgar as opiniões pessoais do autor... Mas é óbvio que, sendo humano, posso acabar não resistindo à oportunidade de me expressar. Meu compromisso então é que tais manifestações sejam sinalizadas de forma devida e clara, permitindo aos leitores compreender que, quando isso ocorrer, será necessária uma leitura mais cuidadosa, de forma que formem ou não suas próprias idéias.

Há alguns outros sites que cito constantemente e através dos quais tenho aprendido e sido edificado, porém não tenho autoria e nem influência em seus conteúdos e não posso me responsabilizar pelo que possa vir a ser publicado por eles. Não digo isto de má fé: mesmo fugindo de toda aparência do mal é necessário examinar tudo e reter apenas o bem... como eu gostaria de poder ser mais simpático, mas maldito é o homem que confia no homem! Assim como peço que me examinem, espero que qualquer autor verdadeiramente cristão esteja disposto a ser constantemente examinado e provado.

Não julgo meus escritos como se fossem alguma coisa e nesses dois anos em que me abstive sei que muita gente escreveu coisas importantes e interessantes... achei até que nem me seria necessário escrever mais nada! Mas a questão principal que me fez retornar gira em torno da dinâmica e da cronologia: as coisas estão acontecendo agora e muitos custam a acreditar, demoram a “disparar o alarme”!

Parece que o avanço dos valores humanos criou uma espécie de pavor ao aplicar os parâmetros de julgamento, discernimento e exortação estipulados na Bíblia: um tal “amor” pachorrento e permissivo contaminou muitos que estão em posição de destaque e deveriam estar defendendo a fé — se algum pregador expressivo apontar o erro de outro ilustre herege ou “ungido” apóstata, certamente irá ter seus erros expostos da mesma forma... e isso pode causar enormes prejuízos (principalmente financeiros) em seus “ministérios”!

Um “acordo de cavalheiros” existe e com isso poucos se importam com a defesa da fé: cada um deturpa um pouquinho para o seu lado e todos ganham dinheiro para se ostentar... enquanto isso a apostasia chega e se instala com força total! O catolicismo já tem o seu papa. E os protestantes... precisam de quantos? Um por denominação?

Talvez por não ganhar dinheiro com isso eu seja tolo o suficiente para ficar gastando meu tempo apontando enganos e deturpações quando os reconheço...

Todo o material aqui gratuitamente apresentado é licenciado nos termos de “Creative Commons”, seguindo as recomendações de Cristo a seus apóstolos:

“E, indo, pregai dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça daí.” (Mateus 10:7-8)

As curas, as limpezas, as expulsões e até mesmo as ressurreições que podem ocorrer a partir do meu trabalho são todas na área espiritual: não vou operar sinais nem maravilhas para satisfazer Tomé! Apenas através do estudo da Palavra de Deus e da análise dos mais diversos materiais criados na modernidade é que poderei revelar o quão doente, suja, infiltrada e morta está toda humanidade... inclusive alguns que desejam sinceramente fazer parte do Corpo de Cristo, a Igreja, mas que não percebem os caminhos de engano e morte por onde estão sendo conduzidos.

Para a realização de muitos destes estudos sou amparado pela lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege (Capítulo IV, artigo 46º):

Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais:

...

III - a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra.

Tudo isto aqui mencionado está exposto através do conteúdo deste site: Bíblias em punho! Adentrem, esquadrinhem minuciosamente e apliquem a meus textos a mesma regra que utilizo ao realizar todos e cada um de meus escritos:

“Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.” (João 7:24)

Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria.

Que Deus nos proteja nesses dias maus e abençoe com sabedoria e saúde.

Teóphilo Noturno

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

sábado, 27 de novembro de 2010

A casa do Deus vivo

A casa do Deus vivo
Exibição na TV Brasília: 27/11/2010 - Sábado - 9h

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

domingo, 7 de novembro de 2010

O Sangue Do Concerto Eterno – C.H. Spurgeon

O Sangue Do Concerto Eterno – C.H. Spurgeon

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

sábado, 30 de outubro de 2010

A verdade sobre o sistema religioso


Nossas vidas para o propósito de Deus - Parte 2


Exibição na TV Brasília: 30/10/2010 - Sábado - 9h

Nossas vidas para o propósito de Deus - Parte 1

Exibição na TV Brasília: 23/10/2010 - Sábado - 9h

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

domingo, 24 de outubro de 2010

Prepara-te para a luta ou debate seu Jó!

Prepara-te para a luta ou debate seu Jó!

Livro de Jó capitulo 38

"Jó é humilhado ao ponto de compreender que é inútil ao homem
pensar que pode penetrar nos mistérios das ações providenciais
de Deus extensivas às criaturas. Jó foi despojado de todo orgulho,
e pela graça de Deus alcançou uma autêntica vitória e uma fé triunfante."

sábado, 23 de outubro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Vendilhões da própria alma



Vendilhões da própria alma


Por: Márcio Rosa da Silva

Eu tento imaginar a cara de espanto dos freqüentadores do templo, quando viram um ilustre desconhecido virando as mesas dos cambistas, que afinal de contas estavam ali fazendo seu trabalho, e descendo o chicote nos vendilhões que pululavam nos acessos ao lugar mais sagrado para o judaísmo. Espalhou tudo o que era vendido, esparramou o dinheiro no chão e deu uma bronca: “Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!” Jesus virou a mesa, literalmente, quando encontrou no templo de Jerusalém um verdadeiro comércio que se aproveitava do sagrado para lucrar.

No decorrer de toda a história do cristianismo, por diversas vezes, a igreja fez exatamente aquilo que seu Senhor reprovou: comércio do sagrado. Desde a constantinização da igreja no século IV, já houve comércio de quase tudo, relíquias, perdão de pecados (as famosas indulgências), lugar no céu, títulos eclesiásticos e outras quinquilharias.

Nestes dias mais recentes, há um reavivamento do comércio da fé, com líderes extorquindo fiéis em troca de milagres, comercializando o voto dos fiéis, vendendo, ou doando em troca de uma oferta, rosas ungidas, óleo de Israel, água do Jordão, areia no Sinai, e uma lista sem fim de mercadorias.

O templo era o espaço religioso da época, que Jesus bem disse que agora não se limitava mais ao templo, porque os verdadeiros adoradores adoração em espírito e em verdade, independente do local. Então os cambistas de hoje não são aqueles que vendem algo no templo, apenas. Mas qualquer um que se aproveite do sagrado, da (boa) fé das pessoas e lucre com isso, faça comércio disso.

Mas ainda é mais do que isso. Jesus deixa bem claro que o templo é a pessoa. Diz que Deus vem morar no coração da pessoa, sendo este, portanto, o verdadeiro e mais perfeito templo, não feito por mãos humanas. Sendo assim, é bem capaz que estejamos sendo cambistas no nosso templo, no nosso coração.

Será que não estamos negociando aquilo que é, ou deveria ser, sagrado? Será que, como os vendilhões do templo, não estamos profanando o templo de Deus, que é nossa vida? Quando você negocia um valor moral, quando abre mão de uma virtude, quando escolhe o lucro fácil, em lugar de um negócio honesto, você está na mesma posição que aqueles vendilhões. Profanando o que deveria ser sagrado.

Deus habita em seu coração. Mas será que não há cambistas demais nele? Quanto você tem negligenciado aquilo que realmente deveria alimentar seu coração, suas emoções, por conta de uma busca desenfreada pelo prazer instantâneo e fugaz? Imagine as vezes que você deixou de estar com quem realmente gosta de você, só pra fazer média com quem não te dá a mínima e apenas vê em você alguém útil? Quantas vezes você esteve a ponto de explodir por causa de tantas cobranças, tantas expectativas com relação a você, quando você poderia tão-somente descansar num Deus que é Pai? Vendilhões, cambistas que lhe roubam a alma.

Chega uma hora que você precisa virar a mesa e fazer uma faxina no seu templo, seu coração. Ele é um solo sagrado. Deus habita nele. Faça isso para seu próprio bem.

Fonte: [ Inquietações de um aprendiz ]
Via: [ Emeurgência ]

terça-feira, 19 de outubro de 2010

sábado, 9 de outubro de 2010

Todo o desígnio de Deus - Parte 2 dia 09/10/2010


Todo o desígnio de Deus

A economia de Deus - Parte 1


A economia de Deus - Parte 2

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Todo o desígnio de Deus

Todo o desígnio de Deus

A economia de Deus - Parte 1

Sinais de apostasia dos últimos tempos

Sinais de apostasia dos últimos tempos

Primeira parte


Segunda parte


Terceira Parte

domingo, 3 de outubro de 2010

É o arrebatamento! E agora?



Arrebatamento significa tirar com violência, levar repentinamente, levar pelos ares ou,ainda, raptar. É exatamente isso que Cristo fará com a Igreja!
É a vinda de Cristo para buscar a SUA IGREJA... Não buscar Assembleia de Deus, Quadrangular, Batista... É a vinda de Cristo para buscar os salvos, independente de denominação religiosa, independente de raça, cor, idade... No grande dia do Senhor não haverá "escape", não haverá pai que "salve" filho, filho que "salve" mãe... Não haverá escape para aqueles que passaram a vida servindo a dois senhores; não haverá escape para aqueles que receberam seu galardão aqui na terra...
Não importará o nível social, financeiro, escolar...
Todos que NEle crêem serão arrebatados, ou seja, desaparecerão da terra para viverem com Ele nos céus.
A doutrina do Arrebatamento é mais séria do que podemos imaginar... Os fatos que antecedem este grande evento e os fatos que se desencadearão (grande tribulação) nunca foram vistos e nunca mais serão. Talvez se pudéssemos mensurar com mais propriedade cada fato seríamos mais tementes e mais compromissados com o Reino.
O mundo inteiro estará sujeito ao mesmo evento. Milhares e milhares de pessoas desaparecerão... Será o caos total.
Hoje em dia é muito difícil ouvirmos em nossas igrejas pregações acerca do arrependimento, do juízo... Enfim, da volta de Cristo!
O tempo esta passando... E a cada dia a volta do Mestre está mais próxima.
Não quero trazer aqui um estudo completo acerca do Arrebatamento, até porque me acho incapaz para isso. A minha intenção é fazer com que nos lembremos que a vida Cristã não se resume aos cultos dominicais! Mais importante que bênçãos materiais é estarmos com Jesus...
Do que adianta termos riquezas, termos anéis de formatura e tudo isso se não tivermos a presença de Deus?
Do que nos valeu a vida inteira se não pudermos passar a eternidade com o Pai?
O objetivo da Igreja aqui na terra é proclamar o evangelho. O objetivo principal é fazer notório o nome do Senhor...
Cristo pode (e voltará) a qualquer momento! Para muitos será tristeza, para outros eterna alegria.

Muitos zombaram e zombam até hoje desse evento. O mais importante de tudo isso é que a bíblia não é uma literatura qualquer, não é uma obra fictícia... Acreditando ou não tudo o que ela relata acontecerá.
Precisamos tomar uma postura mais firme diante de Deus!
Se somos filhos da luz devemos resplandecer o brilho que há em Cristo.
Será que estamos preparados para o grande dia do Senhor? Reflitamos!
“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.” (AP 3:03)
“Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.” (AP 3:11)
Cristiane Carrillo

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

C. H. SPURGEON - MORTOS NÃO TEM LIVRE-ARBÍTRIO

Gianna Jessen - Sobrevivente de uma tentativa de aborto

Primeira Parte

Gianna Jessen conta como sobreviveu a um aborto por envenenamento salino, e incentiva a promoção da vida.



Segunda Parte

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A relação entre o catolicismo, suas práticas distorcidas e os neopentecostais.


A relação entre o catolicismo, suas práticas distorcidas e os neopentecostais.




Por Renato Vargens

Em dias como os nossos onde parte dos evangélicos estão resgatando deliberadamente algumas práticas católicas romanas é inevitável não lembrarmos de José Maria da Conceição.

José Maria da Conceição foi o primeiro sacerdote romano a se converter a fé evangélica no século XIX. Conceição nasceu na cidade de São Paulo em 11 de março de 1822. Foi pároco em vários lugares, onde se distinguiu por sua erudição, atividade e eloquência. O Estudo da Bíblia o convenceu que a igreja em que militava se havia apartado dos ensinos de Cristo, e depois de séria meditação, mandou em 1864, ao bispo sua renúncia do cargo que ocupava.

Após sua saída do catolicismo, Conceição foi batizado e ordenado ao ministério pela igreja Presbiteriana. Consagrou-se a pregação do evangelho andando quilômetros a fio, indo de lugar a lugar completamente despreocupado de suas comodidades pessoais. Na cidade de Campanha, uma noite, onde estivera a pregar foi apedrejado até ser deixado por morto no meio da rua. Em outra ocasião, ao testemunhar da salvação em Cristo Jesus, foi bruscamente interrompido por um fazendeiro que, juntamente com seus escravos, o atacou gravemente ferido e com as vestes em farrapos.

Pois é, como Conceição inúmeros homens de Deus ao longo da história viram incompatibilidade entre a fé de Roma e o protestantismo. No entanto, infelizmente nos tempos atuais não tem sido assim. Senão vejamos: Parte dos chamados evangélicos tem pregado indiretamente que as bênçãos de Deus não são frutos de sua maravilhosa graça, mais sim, conseqüência direta de uma relação baseada na troca ou no toma-lá-dá-cá. Neste contexto, tudo é feito em nome de Deus e para se conseguir a benção é absolutamente necessário pagar e pagar alto! Por favor, responda sinceramente: Qual a diferença da oferta extorquida do povo sofrido nos dias atuais para a venda das indulgências da idade média? Qual a diferença dos utensílios vendidos no século XVI, para os comercializados em nossos templos nos dias de hoje?

Para piorar a coisa, tal práxis doutrinária e comportamental encontrou uma enorme aceitabilidade por parte da sociedade, e isto se deve ao agravante de que as pessoas deste tempo, buscam desesperadamente por experiências e não a verdade. Elas não querem pensar, querem sentir; não querem doutrina, desejam novidades; não querem estudar a Palavra, querem escutar testemunhos eletrizantes; não querem adorar, querem shows; não querem Escolas Bíblicas, querem circo; não querem o evangelho da cruz, desejam o evangelho dos milagres; não querem Deus e sim as bênçãos de Deus. Além disso, estamos vivendo um tempo de paganização, onde cultos se fundamentam em impressões e achismos. Na verdade, o que determina o sucesso do culto não é mais a Palavra, mas o gosto da freguesia. A igreja prega o que dá ibope, oferecendo ao povo o que ele quer ouvir. Esse evangelho híbrido anuncia Cristo juntamente com o evangelho do descarrego, da quebra de maldições , da prosperidade material e não da santificação, da libertação e dos decretos humanos.

Como inúmeras vezes afirmei neste blog, confesso que estou absolutamente perplexo e preocupado com os rumos da igreja evangélica. Chego a conclusão de que mais do que nunca a igreja evangélica brasileira precisa URGENTEMENTE de uma nova reforma.

Soli Deo Gloria,

Renato Vargens

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

"Guarda, a que horas estamos da noite?"


A mensagem "Guarda, a que horas estamos da noite?"Já podem ser ouvidas no canal Semeando o Reino!
http://palavra.lunamach.com

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Novos Evangélicos?!



Novos Evangélicos?!


A revista Época desta semana (7/8/10) traz reportagem de capa sobre a reação de diversos segmentos da igreja evangélica ao crescimento das igrejas neopentecostais. O artigo pode ser lido aqui:

http://www.pulpitocristao.com/2010/08/nova-reforma-protestante.html

O título é Os Novos Evangélicos e a capa é ilustrada com uma foto da construção de uma réplica do templo de Salomão que está sendo realizada pela Igreja Universal em São Paulo.

O artigo representa um avanço na maneira como a mídia em geral trata os evangélicos, como se fossem todos farinha do mesmo saco. E farinha imprestável. Ricardo Alexandre, o articulista, reuniu depoimentos de líderes evangélicos de diversos segmentos (incluiu um sociólogo ateu) e mostrou como todos eles concordam numa coisa: sua rejeição às doutrinas e práticas das igrejas neopentecostais e o desejo por uma mudança profunda nos atuais rumos da igreja evangélica brasileira.

Neste ponto, nada a reparar. De fato, de pentecostais a episcopais, reações contrárias a estas igrejas, consideradas como seitas por algumas denominações históricas(*), têm sido veiculadas abertamente por meio de blogs e livros. Já estava na hora da grande mídia ouví-las e entender que nem todos que fazem reuniões onde o nome de Cristo é citado são necessariamente evangélicos ou mesmo cristãos.

Eu só fiquei um pouco desconfortável com dois ou três pontos da matéria que cito aqui. Estou à vontade para isto uma vez que meu nome foi mencionado no artigo, ainda que de raspão.

1) Achei que o título do artigo na capa é um equívoco histórico, pois “novos evangélicos” se aplica mais exatamente a grupos como a IURD, Renascer e Igreja Mundial e não aos que estão reagindo a estes grupos. Eu não me considero um “novo evangélico” e sim um bem antigo, com raízes históricas na Reforma do séc. XVI e teológicas nas Escrituras Sagradas. Não tem nada de “novo” em nosso desejo de ver o antigo Evangelho ser pregado corretamente em nossa pátria. Estas seitas é que chegaram ontem. Todavia, entendo o autor. Estes grupos neopentecostais cresceram tanto e influenciaram tanto a mídia e a opinião pública que viraram o padrão. Eles é que são os “evangélicos”. Quem não é como eles e quer mudanças é visto como o novo, a novidade.

Num certo sentido foi isto que aconteceu na Reforma. Os reformadores foram acusados pelos papistas de estar trazendo “novidades” na igreja, ao pregar que a justificação era pela fé somente. Lutero e Calvino retrucaram que estavam pregando as antigas doutrinas da graça, encontradas nos Pais da Igreja e nos ensinos de Cristo e de Paulo. Eu entendo que para uma igreja como a de Roma, com vários séculos de existência, os protestantes pareciam nova seita. Mas convenhamos - considerar episcopais, presbiterianos e assembleianos como “novos evangélicos” é passar recibo para a pretensão destes grupos sectários de serem igreja evangélica legítima.

2) Também achei que pode ter ficado a impressão para leitores menos avisados que os reacionários estão unidos entre si e que se aceitam mutuamente, sem problemas. Antes fosse. Mas, nem sempre o inimigo do meu inimigo é meu aliado. Eu entendo que o foco do artigo é as igrejas da prosperidade. Mas não posso deixar de ressaltar que aqueles que se levantam contra os abusos destas seitas não são necessariamente aliados entre si. Na verdade, pode haver entre eles diferenças tão abissais como a que existe entre eles e as seitas da prosperidade.

3) Denunciar o erro dos outros não nos absolve dos nossos. Se por um lado as seitas neopentecostais espalham um falso evangelho deformado pela teologia da prosperidade, há os que também propagam um evangelho distorcido pelo liberalismo teológico e por heresias antigas. As seitas da prosperidade acabaram sendo demonizadas como a própria encarnação do anti-evangelho a ponto de, conforme o artigo de Época, se fazer necessária uma nova Reforma protestante. Não discordo deste ponto, apenas considero que o enfoque nele acaba desviando a atenção de outras linhas de pensamento dentro dos arraiais cristãos que são tão prejudiciais quanto a teologia da prosperidade e que igualmente clamam por uma Reforma.

Por exemplo: e aqueles que destroem a fé em Jesus Cristo e nos padrões morais do Cristianismo? A mídia fica indignada com o mercenarismo dos pastores destas seitas, mas aplaude os evangélicos que defendem o casamento gay, o aborto, a teoria da evolução contra o relato da criação, o relativismo moral, o sexo livre e o ecumenismo com todas as religiões. A mídia não consegue enxergar que liberalismo teológico e teologia da prosperidade são irmãos gêmeos e hipocritamente aplaude um e condena o outro.

Não me entendam mal. A reportagem está correta. É preciso deixar claro que estes grupos neopentecostais estão deturpando o Evangelho de Cristo. Porém, é tendenciosa. Retrata os neopentecostais como a raiz de todos os males no meio evangélico, esquecendo o dano feito pelos liberais, pelos defensores de outro deus e pelos libertinos.

4) Por último, acho que faltou mencionar que os chamados “novos evangélicos” concordam apenas que é preciso uma mudança, mas discordam entre si quanto ao modelo de igreja que deve ocupar o lugar desta seitas. A Reforma do séc. XVI, em que pesem as diferenças entre os reformadores principais, tinha uma mensagem relativamente uniforme e praticava um modelo de igreja que era basicamente o mesmo. É só comparar as confissões de fé escritas por presbiterianos, batistas, episcopais, congregacionais e independentes para se verificar este ponto. Já os tais “novos evangélicos”… bem, há entre eles desde os “desigrejados,” que desistiram completamente de qualquer coisa que se pareça com uma igreja, até aqueles que desejam apenas expurgar o modelo tradicional de igreja dos acréscimos indevidos em sua doutrina, culto e prática, mantendo a pregação, o batismo e a ceia e o exercício da disciplina para os membros faltosos.

E no meio ainda temos os emergentes, as igrejas em células sem liderança oficial, igrejas com liturgia inclusiva e por aí vai.

É aquela velha história. Grupos contrários se unem contra um inimigo comum e após vencê-lo começam a brigar entre si. A luta comum contra as igrejas da teologia da prosperidade está longe de representar uma nova Reforma. Quando esta luta terminar - se é que vai terminar um dia - teremos de continuar a outra, mais antiga, que é contra o liberalismo teológico fundamentalista, o relativismo moral, o pluralismo inclusivista e o libertinismo que assolam os evangélicos no Brasil muito antes de Edir Macedo abrir seu primeiro templo. Para mim, estas coisas são até mais perniciosas, pois enquanto que as seitas neopentecostais criam suas próprias igrejas e comunidades, os liberais se infiltram nas estruturas e igrejas criadas por conservadores e drenam seu vigor até deixar somente a carcaça.

(*) A Igreja Presbiteriana do Brasil, por exemplo, passou a considerar a IURD e a Igreja Mundial do Poder de Deus como seitas desde julho de 2010, exigindo que membros destes grupos sejam rebatizados ao ingressarem nas igrejas presbiterianas locais.

Autor: Augustus Nicodemus Lopes

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

“Guarda, a que hora estamos da noite?”







6ª CONFERÊNCIA BÍBLICA DO

MINISTÉRIO APOSTÓLICO DE VOLTA À PALAVRA

Área: Escatologia

Temas:

1. As setenta semanas – Daniel 9;

2. O destino das nações – Daniel 2;

3. Os sete selos;

4. As sete trombetas;

5. As sete taças;

6. O arrebatamento dos cristãos vencedores;

7. A segunda vinda de Cristo;

8. O reino milenar.

Título: “Guarda, a que hora estamos da noite?”

Objetivos:

1. Situar a presente era na linha profética do tempo, apontando os acontecimentos iminentes que sucedem á dispensação da graça;

2. mapear os principais acontecimentos proféticos e suas respectivas dispensações, colocando-os numa linha profética, desde o que a Bíblia chama de “O PRINCÍPIO”(Gn 1:1) até o que a Palavra de Deus chama de o “ FIM” (1Co 15:24);

3. preparar os verdadeiros filhos de Deus, no que concerne ao conhecimento escatológico, para o encontro com o Senhor, em Sua segunda vinda.

Ênfase: O Reino milenar.

Dias e horários:

20 de agosto (sexta-feira): 19h30

21 de agosto (sábado – manhã): 09h

21 de agosto (sábado – noite): 19h30

22 de agosto (domingo): 09h

Local: QNE 19 LOTE 40 – 1º andar, Taguatinga Norte

Convite tamanho grande


Convite tamanho pequeno

ENTRADA FRANCA

segunda-feira, 19 de julho de 2010

O fim do Mundo, 2012 e a Bíblia Sagrada.
http://palavra.lunamach.com/


O fim do Mundo, 2012 e a Bíblia Sagrada.
http://palavra.lunamach.com/